terça-feira, 26 de setembro de 2017

Fazendo P2V de Linux para Hyper-V

Já faz um tempo que eu tenho escrito artigos sempre quando há uma solicitação ou uma necessidade de algum amigo, aluno ou cliente.

Na última semana alguns amigos da Sicredi que participaram de um treinamento comigo falaram de uma necessidade em específico e então resolvi escrever esse artigo demonstrando com converter uma máquina física com Linux para um arquivo .VHD ou .VHDX que é o formato de disco do Hyper-V.

Exemplo do cenário:

Desenho2

No Servidor Windows

1) Crie uma pasta com nome VHD.

2) Compartilhe e dê permissão NTFS total para o administrador.

No servidor Linux

1) Abra o terminal.

2) crie um diretório chamado imagem em /mnt

sudo mkdir imagem

3) Montando:

sudo mount –t cifs –o username=administrador,password=senha //192.168.1.12/vhd /mnt/imagem

Onde:

  • Administrador: usuário no Windows Server
  • Password: senha do usuário administrador
  • 192.168.1.12 – IP do servidor Windows
  • VHD – Pasta criada no servidor Windows (compartilhada e com permissão total para o administrador)
  • /mnt/imagem – local onde será montado

4) Criando a imagem.

Será feita uma cópia exata do disco do servidor Linux para o diretório VHD do servidor Windows.

Atenção: Lembre-se que o disco destino deve ser de igual tamanho ou maior do que o disco do servidor Linux.

Usamos o parâmetro bs para definir o tamanho do bloco.

sudo dd if=/dev/das of=/mnt/imagem/ubuntu.img bs=100

comandos

No Servidor Windows

1) Você vai precisar do utilitário vhdtool – Baixe aqui

2) Em nosso exemplo a pasta VHD está na unidade d:\

3) Copie o utilitário vhdtool para o mesmo local da imagem (em nosso caso ubuntu.img)

4) Vamos agora converter a imagem:

vhdtool.exe /convert ubuntu.img

5) Agora vamos renomear para vhd

rename Ubuntu.img Ubuntu.vhd

imagem converte

Criando a máquina virtual no Hyper-V com o disco Linux

1) Criando a máquina virtual

imagem1

2) Defina a geração a ser usada.

imagem2

3) Especifique a quantidade de memória

imagem3

4) Especifique a rede

imagem4

5) Selecione usar um disco virtual existente > localize o disco ubuntu.vhd

imagem5

6) Localizando o disco ubuntu.

imagem6

7) Pronto! Máquina virtual Ubuntu rodando.

ubuntu

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Windows Server 2016 – Edições e limites

Lançado oficialmente em setembro de 2016 em Atlanta-USA no evento chamado Microsoft Ignite, o Windows Server 2016 trouxe inúmeras novidades focada cada vez mais em computação em nuvem. A Microsoft quando lançou o Windows Server 2012 já o chamou de “um sistema operacional nascido para a nuvem” e agora no Windows Server 2016 que vem com uma enorme variedade de novos recursos como o tão esperado Windows Server Containers, Hyper-V Containers e Nano Server, que comprovam mais uma vez o foco da Microsoft em computação em nuvem. Vários outros novos recursos também estão presentes no Windows Server 2016 como blindagem de máquinas virtuais, Windows Defender e muitos outros recursos de segurança além de um novo conceito que engloba uma série de funções e para o que chamamos de infraestrutura definida por software.

Mas qual o foco de novo Windows Server 2016? Primeiro, ele segue o mesmo padrão que versões anteriores, e claro traz uma gama de novas funções e recursos que vem contemplar algumas necessidades que com a evolução da computação em nuvem seja em infraestrutura ou em desenvolvimento no novo conceito de DevOps ainda estava deficiente.

Por fim, a Microsoft está chamado o Windows Server 2016 de "um sistema operacional de nuvem para as massas" o que significa que uma empresa de qualquer tamanho pode executar um servidor com o novo Windows Server estando ela usando a nuvem pública ou privada.

Edições do Windows Server 2016

As edições do Windows Server 2016 foram simplificadas para contemplar cada cenário conforme a necessidade do negócio.

Temos as seguintes edições:

Windows Server 2016 Datacenter: Específico para datacenter com foco em virtualização.

Windows Server 2016 Standard: Para cenário de instalação em servidor físico ou pequeno ambiente virtualizado.

Windows Server 2016 Essentials: Para pequenos negócios com até 25 usuários e 50 dispositivos.

Windows Server 2016 MultiPoint Premium Server: Recomendado para vários usuários com acesso a um computador. Recomendado para instituições de ensino com licenciamento acadêmico.

Windows Storage Server 2016: Recomendado para soluções de storage OEM.

Microsoft Hyper-V Server 2016: Hypervisor de uso gratuito.

Praticamente todos os recursos e funções são os mesmos nas versões Datacenter e Standard, porém separamos os que não são comuns entre as duas versões:

Recurso

Datacenter

Standard

Funcionalidade Core do Windows Server

Sim

Sim

OSEs / Hyper-V containers

Ilimitado

2

Windows Server containers

Ilimitado

Ilimitado

Serviço Host Guardian

Sim

Sim

Opção de instalação do Nano Server

Sim

Sim

Recursos Storage incluindo Storage Spaces Direct e Storage Réplica

Sim

Não

Blindagem de Máquinas virtuais

Sim

Não

Pilha de rede

Sim

Não

OSE: Ambiente do sistema operacional

Os limites do Windows Server 2016

Limites

Standard

Datacenter

Número máximo de usuários

Baseado em CALs

Baseado em CALs

Número máximo de conexões

16777216

16777216

Número máximo conexões RRAS

Ilimitado

Ilimitado

Número máximo de conexões IAS

2147483647

2147483647                   

Número máximo de conexões RDP

65535

65535

Número máximo de cores

Ilimitado

Ilimitado

Máximo de memória RAM

24 TB

24 TB

Pode usar máquinas virtuais convidadas? Quantas?

Sim; 2 máquinas virtuais para um host Hyper-V por licenças

Sim; Ilimitadas máquinas virtuais, para um host Hyper-V por licenças.

Server ingressar ao domínio

Sim

Sim

Proteção de rede/firewall

Não

Não

DirectAccess

Sim

Sim

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Criando um USB bootável para o Ubuntu 17.04

Para quem não quer gravar um CD ou DVD com o sistema operacional, pode estar utilizando uma mídia USB.

Realize o download do Rufus https://rufus.akeo.ie/?locale

1) Execute o Rufus > com o pen drive inserido selecione:

Tipo de partição: Partição MBR para BIOS ou UEFI

Sistema de arquivos: FAT32

Tamanho do cluster: 4096 bytes

Insira um nome para o volume: Ubuntu 17.04 (opcional)

Em criar disco bootável com: selecione Imagem ISO e localize o ISO do Ubuntu (que você fez o download previamente)

2) Clique em Iniciar

clip_image002

3) Selecione Gravar no modo imagem ISO > OK

clip_image003

4)  Clique em Fechar.

clip_image002

Pen drive bootável pronto! Agora é só dar o boot pelo prive e instalar seu Linux.

5

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Debian 6 no Hyper-V do Windows Server 2016 – Caso Placa de rede

Debian no Hyper-V do Windows Server 2016 – Caso Placa de rede

Já faz um tempo que alguns amigos da área quando entram em contato com situações envolvendo Linux no Hyper-V em muito dos casos é sempre a questão da placa de rede.

O caso hoje envolve o Debian, aliás como todos sabem é a minha distro preferida. Vamos lá:

1) Ao instalar o Debian no Hyper-V pode deixar a placa de rede padrão, não há nesse caso a necessidade de adicionar a o adaptador de rede legacy (herdado).

2) Se durante a instalação do Debian a placa de rede não foi reconhecida você apenas terá o problema de não poder já atualizar alguns pacotes, porém nada que não possa ser realizado posteriormente.

3) Ao concluir a instalação abra o VI ou Nano e acesse como root:

/etc/network/interfaces

Adicione: (vamos exemplificar os endereços IP, máscara, gateway e DNS)

auto eth0

iface eth0 inet static

address 192.168.1.240

netmask 255.255.255.0

gateway 192.168.1.1

dns-nameservers 8.8.8.8

Grave as alterações.

clip_image002[6]

4) Suba a interface com o comando

ifup eth0

clip_image004[6]

5) Digite ifconfig e a placa de rede está funcionando!

Conforme bem observado pelo meu amigo @flavioformata o ifconfig não funciona nas versões mais novas e para isso terá que instalar o net-tools.

clip_image006[6]

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Microsoft vai oferecer Ubuntu, Suse e Fedora Linux na Windows Store

A Microsoft vem expressando seu amor por Linux e Open Source há quase três anos, e esse amor está se abraçando com o passar do tempo.

Falamos recentemente aqui sobre o WSL (Windows Subsystem Linux) no Windows 10 e o próximo passo da Microsoft será colocar o WSL no Windows Server 2016.

image

Apenas no ano passado, a Microsoft fez manchetes ao criar suporte para o Bash shell e os binários Ubuntu Linux no Windows 10, permitindo que os usuários executassem instâncias limitadas do Linux diretamente sobre o S.O sem instalar qualquer máquina virtual.

Agora, a Microsoft anunciou na sua conferência de desenvolvedores  o Build em Seattle que três sabores diferentes do sistema operacional Linux livre estão chegando à loja de aplicativos da empresa, para que seus usuários possam executar aplicativos Windows e Linux lado a lado.

As três versões de distribuições Linux: Ubuntu, Fedora e SUSE.

Agora, em breve você poderá instalar esses sistemas operacionais Linux em seu dispositivo Windows, assim como qualquer outro aplicativo. Enquanto o Ubuntu já está disponível na loja do Windows para quem quiser fazer o download, o Fedora e o SUSE estão em breve.

clip_image002

Este movimento mais recente da Microsoft segue seu compromisso com a comunidade de código aberto. Em 2013, a empresa lançou o Visual Studio 2013. Um ano mais tarde, open-sourced. NET, e em 2015, aberto sourced o Visual Studio Code Editor.

Apenas no ano passado, a empresa trouxe o Ubuntu no Windows 10, trabalhou com o FreeBSD para desenvolver uma imagem da Máquina Virtual para sua nuvem Azure , escolheu o Ubuntu como SO para os serviços Big Data da nuvem e até se juntou à Linux Foundation como um membro Platinum - o mais alto nível de adesão, que custa US $ 500.000 por ano.

Adicionar o Ubuntu, o Suse e o Fedora à Loja do Windows também é uma maneira de tornar mais fácil para os desenvolvedores que gostam de usar o software Linux permitir que eles instalem a versão Linux de sua escolha em sua máquina Windows 10.

Resta esperar os próximos passos da Microsoft cada vez mais Love Linux!

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Não é possível executar uma aplicação nem como administrador: Caso Administrador no Windows 10

O tempo passa e a rede mundial de computadores cada vez mais nos traz coisas muitos legais, mas ao mesmo tempo tenho percebido que os “problemas antigos sempre são novos”.

Espero não ter complicado as coisas, mas o que me refiro é que o hábito de ler bom artigos, conversar com profissionais que você julgue serem competentes, participar de eventos e claro, ler bons livros tem desaparecido do hábito das pessoas.

O caso recente que me foi solicitado é: Não é possível executar uma aplicação nem como administrador?

Eu sou o Administrador!

clip_image002

1) Como administrador tentei executar a calculadora no Windows 10.

clip_image004

2) Recebi a seguinte mensagem de erro:

clip_image006

3) Mas como se eu sou o Administrador?

Desde o Windows Vista a Microsoft desabilitou por padrão a conta de Administrador, ou seja, algo que no Linux já é realizado há muito tempo. Afinal, isso tem todo sentido pois protege o sistema operacional.

4) Para resolver acesse executar > digite gpedit.msc

clip_image008

5) Acesse Configurações do Computador > Configurações do Windows > Configurações de segurança > Políticas locais > Opções de Segurança > dê um duplo clique sobre Controle de Conta de Usuário: executar todos os administradores em Modo de Aprovação de Administrador.

clip_image010

6) Marque Desabilitado.

clip_image012

7) Execute o comando gpupdate /force ou então reinicie o computador. Após tente abrir a calculadora (apenas exemplo).

clip_image014

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Instalando o xrdp no Ubuntu Server 16.04 e conectando com cliente Windows 10

O que tem me inspirado nos últimos tempos são os pedidos dos meus amigos, e isso me deixa muito feliz, pois apesar de um ser um “eterno aprendiz” sempre que posso tento ajudá-los.

Aproveito ainda para dizer que é ensinando ou “tentando ajudar” que utilizo como um trampolim para tentar me manter sempre atualizado.

Vamos ao que interessa, que é instalar o xrdp no Ubuntu Server 16.04 e depois conectar um cliente RDP do Windows 10 - que é um pedido do meu amigo Prof. André Luiz.

Após instalar o Ubuntu Server 16.04 siga os passos:

1) Com o ifconfig verificamos que já setamos o IP 192.168.1.13 para nosso Ubuntu Server 16.04

clip_image002

2) Defina a senha do root

sudo passwd root

clip_image003

3) Execute apt-get update (como root)

clip_image004

4) Agora vamos instalar o xrdp

sudo apt-get install xrdp

clip_image005

5) Vamos instalar o ambiente desktop xfce4

sudo apt-get install xfce4

clip_image006

6) Agora vamos precisar definir algumas configurações.

Para que o Ubuntu com o xrdp saiba que o ambiente de trabalho é o xfce digite no terminal:

echo “xfce4-session” >~/.xsession

Reinicie o xrdp

/etc/init.d/xrdp restart

Será solicitado as credenciais do usuário logado

Por fim verifique se o xrdp está rodando

/etc/init.d/xrdp status

clip_image008

7) Acessando

clip_image010

clip_image012

8) Conectado no Ubuntu Server 16.04 usando xrdp

image